João Leão até quer ficar com Rui, mas permanência é ameaçada | Foto: Divulgação

A permanência do PP na base do governador Rui Costa (PT) está ameaçada. Além da articulação comandada pelo deputado federal Cacá Leão para empurrar a sigla em direção ao grupo do prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) (entenda aqui), outro fator também pode inviabilizar a permanência da agremiação junto ao petista. De acordo com informações obtidas pelo Bahia Notícias, começam a se desenhar em Brasília articulações para que o diretório nacional do partido interfira na direção estadual, comandada pelo vice-governador João Leão, no objetivo de colocar o PP nas mãos de Neto. Segundo apurado pela reportagem, se a mudança não acontecer por livre e espontânea vontade – possibilidade não descartada, já que, atualmente, o único fiador da manutenção do apoio progressista a Rui é o próprio Leão – pode acontecer via intervenção da direção nacional na local. As negociações envolvem até o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), que tem intervido com seu poder de articulação política para beneficiar o prefeito de Salvador na busca por um grupo político forte que possa derrotar a eventual candidatura à reeleição do governador. As tratativas perpassaram pela indicação do deputado Alexandre Baldy para o Ministério das Cidades. Inicialmente, caberia a Maia indicar o substituto de Bruno Araújo (PSDB) na pasta. Foi aí que entrou a articulação pró-Neto. O presidente da Casa deu ao PP a prerrogativa de escolher o nome. Também ajudou nas negociações para que Baldy, anteriormente sem partido, se filiasse ao PP. Em troca, foi selado o seguinte acordo: mais próximo do fechamento das alianças, o PP baiano anunciaria a saída da base governista e o ingresso no time do democrata. Caso isso não ocorra, a direção nacional fará intervenção no diretório estadual para tirar a legenda do comando de João Leão, rifando qualquer óbice à mudança. No entanto, nos bastidores, há quem acredite que algo tão extremo nem seja necessário. Pelas atuais circunstâncias, com a insatisfação dos progressistas em relação a Rui e Cacá tentando amolecer o coração do pai sobre apoiar Neto, o desembarque se desenha como algo cada vez mais provável. Além das articulações em âmbito nacional, o chefe do Executivo soteropolitano também tenta encher os olhos de figuras do PP com possibilidade de espaço na majoritária. Caso João Leão não queira, tem se oferecido a possível vaga reservada a ele para o Senado a Cacá. Para deixar este cenário ainda mais nebuloso, entra o deputado federal Ronaldo Carletto (PP), com sua operação de se fortalecer politicamente com o Pros e PR e aumentar seu poderio bélico na tentativa de negociar seu apoio em 2018. Quem oferecer a ele o Senado, ficará com seu auxílio e, consequentemente, o espólio eleitoral que está construindo. Neto precisará fazer uma “escolha de Sofia”? Para quem gosta de acompanhar os bastidores da política, 2018 promete.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here