O candidato opositor esquerdista Salvador Nasralla lidera a apuração dos votos em Honduras, superando o atual presidente Juan Orlando Hernández, que tenta a reeleição, de acordo com os resultados parciais divulgados durante e madrugada, após uma longa espera.

O primeiro boletim do Tribunal Supremo Eleitoral (TSE), divulgado 10 horas após o fim da votação e com 57% das urnas apuradas, mostra Nasralla com 45,17% dos votos, contra 40,21% de Hernández.

Durante a madrugada, os dois candidatos reivindicaram a vitória.

Minutos antes da apresentação dos resultados parciais, Hernández havia declarado a seus simpatizantes que “estamos na frente por sete pontos”.

Ao mesmo tempo, membros da Aliança de Oposição Contra a Ditadura, partido de Nasralla, seguiram para a sede do TSE para exigir resultados.

Com bandeiras vermelhas, os ativistas gritavam “sim, foi possível” e “fora JOH”, as iniciais do presidente Hernández.

Reeleição contestada

O processo eleitoral foi marcado pela polêmica postulação de Hernández à reeleição, proibida pela Constituição e que foi possível apenas graças a uma decisão do tribunal constitucional, e o temor de fraude do governo. Com os primeiros resultados, a situação parece mudar.

Pouco depois da nota do TSE, Hernández enviou uma mensagem de áudio aos seguidores ressaltando justamente que o resultado não é final.

“O dado do tribunal não é conclusivo porque registra apenas os resultados das principais cidades do país, isto representa apenas 20% dos votos. Os 80% restantes nos favorecem e temos que ser cuidadosos, pacientes e levar o processo até o fim”, disse Hernández, de 49 anos.

O esquerdista Nasralla, no entanto, insistiu na vantagem sobre Hernández.

“Como a tendência não muda, posso dizer a vocês que sou o novo presidente de Honduras”, afirmou eufórico Nasralla, ao lado do ex-presidente Manuel Zelaya, destituído em 2009 e coordenador da coalizão opositora.

Votação tranquila

A tensão pela longa espera e após as respectivas declarações aconteceram após um dia de votação relativamente tranquilo, no qual 6 milhões de hondurenhos deveriam escolher suas autoridades para os próximos quatro anos.

Nasralla, um jornalista de 64 anos, convocou a população a um evento na capital do país nesta segunda-feira (27) para comemorar sua vitória.

Antes, o candidato havia solicitado uma mobilização contra uma possível fraude.

Aliado estável

Em seu mandato, Hernández derrubou uma taxa de homicídios que estava nas alturas, aumentou o crescimento econômico e cortou o déficit desde que assumiu em 2014, provando ser um aliado estável dos Estados Unidos, segundo a Reuters.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here